sábado, 10 de julho de 2010

RESUMO MONOGRÁFICO
CONSIDERAÇÕES SOBRE A GNOSIOLOGIA EPICÚREA

SILVA, Marcos Roberto Damásio da. Considerações sobre a gnosiologia epicúrea. 61f – Trabalho de Conclusão de Curso (Curso filosofia) – Universidade Federal do Ceará. Juazeiro do Norte, 2010.

Trabalho de conclusão de curso apresentado como requisito parcial para obtenção do título de graduado em Filosofia, pela Universidade Federal do Ceará do Campus do Cariri, Com a orientação do Professor Ms. Patrick de Oliveira Almeida.

O presente trabalho monográfico vislumbra tecer considerações sobre a gnosiologia epicúrea e discutir como Epicuro explica a possibilidade de aquisição do conhecimento. Para a obtenção do sucesso deste trabalho, utilizar-se-á como principal fonte bibliográfica a Carta a Heródoto onde sua physiología é apresentada de forma privilegiada. Para tal empreendimento, recorrer-se-á à elucidação de momentos fundamentais da gnosiologia de Epicuro, a saber, a passividade e objetividade da sensação, a formação das imagens e o elemento conceitual presente nelas, como também a noção de antecipação (prólepsis) entendida como idéia universal (katholikè nóesis), formada na psyché devido à reincidência de experiências sensíveis. A gnosiologia de Epicuro fornece ao pesquisador que se debruça sobre a análise dos princípios físicos (physiología) a capacidade de ter a real compreensão dos fenômenos naturais. Esta compreensão é primeiramente ofertada pela faculdade da sensibilidade (aísthesis) que é a causa necessária para a atuação do entendimento no processo cognitivo. O entendimento (diánoia) apreende as imagens (eídola) dos objetos externos mediante a penetração (eiselthón) dos simulacros (týpoi) desprendidos destes objetos. Destarte, a importância da sensação é tão pertinente em sua gnosiologia que todo conhecimento tem seu ponto de partida nela e só se confirma (martýrion) por intermédio dela, por isso Epicuro a coloca entre os “critérios da verdade” (kritéria tès aletheías). Discorrer-se-á sobre a importância da sensação e sobre a atividade do entendimento e sobre as regras que determinam os critérios que conduzem ao conhecimento verdadeiro, isto é, a canônica, também sobre o método de investigação daquilo que não é apreensível pelas sensações, ou seja, aquilo que é “imanifesto” aos sentidos (ádelon), mas que apenas pode ser inferido por meio da analogia (analogía).

Palavras-chave: Epicuro. Sensação. Entendimento. Canônica. Physiología.

2 comentários:

Everardo de Oliveira disse...

melhor trabalho de filosofia desenvolvido na UFC!

António Jesus Batalha disse...

Suas mensagens são muito boas e vir a seu blog é uma benção.Dou-lhe os parabéns e continue nessa
sua força trazendo a cada dia essas mensagens gratificantes de edificação, consolação e exortação. É este o alvo da nossa vida, incentivar a continuar a nossa caminhada pelas veredas da luz, com alegria falando das maravilhas do nosso Salvador. Que sua vida brilhe mais e mais a cada dia. As minhas cordiais saúdações em Cristo Jesus.